BEM VINDO!!!

Olá,

Aqui no Lugar da Fala você encontra dicas, textos e outras informações para se comunicar bem.

Comunique-se e seja bem vindo!!!


Já viu os e-books que escrevi para você? Clique abaixo!

Já viu os e-books que escrevi para você? Clique abaixo!
E-books exclusivos
Está gostando deste blog?
Deixe seu comentário e vote na classificação dos textos!
É só um clique: contribua, assim, para a escolha dos próximos assuntos a serem publicados.
O Lugar da Fala é feito para compartilhar temas de comunicação.
Obrigada, mais uma vez, por sua visita!

Queridos leitores, pretendo lançar outros e-books. Me digam sobre o que gostariam de saber mais:

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Sentimentos



A tirinha é cômica, mas quando acontece na nossa vida, a gente não sabe o que fazer.
Já se sentiu precisando daqueles sentimentos para se apegar a algo, e percebeu que falando sobre isso, tudo se torna mais claro?
Então, que a nossa comunicação nos traga clareza até do que sentimos.
Boa semana!

Imagem da Gazeta do Povo

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Enrolados

Hoje vim tratar de "dificuldade para falar".

Ainda é um tema recorrente entre os que me procuram com a queixa: "eu enrolo, enrolo e não consigo falar", "as pessoas não entendem nada do que eu falo".

Gente, isso pode ser melhorado com a ajuda de um fonoaudiólogo!!!
Como cada caso é muito particular, só vou exemplificar aqui algumas possibilidades: disfluência ocasional, gagueira, dificuldade na organização do pensamento, questões com a língua ou com o vocabulário local.

Antes de procurar um especialista para avaliar o caso, já observe as circunstâncias em que acontece; como era antes e como está agora; quando fica pior; quem mais na família tem um padrão parecido. Você já poderá auxiliar muito diagnóstico se puder trazer detalhes do que acontece e principalmente de como se sente. É difícil quando não conseguimos comunicar como queríamos, não é mesmo?

Então, NÃO ENROLE MAIS! Busque ajuda! Adultos também podem perceber bastante melhora com a ajuda de um especialista.
Até a próxima!


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Corrigir, sim, e com amor


Olá,
Como é mês das mães, eu estou aqui para parabenizá-las e lembrar da importância da família no desenvolvimento das crianças, principalmente da nossa comunicação ao educá-los.
Os filhos lembrarão de uma família que incentivou, que ouviu, que está mais preocupada com o que a criança está aprendendo do que achar erros.
Agora que eu sou mãe também, sei o tamanho deste desafio. É algo que pode ser ensaiado e melhorado com o tempo. Lembram daquela vergonha que a gente passava quando nossos pais nos repreendiam na frente dos outros?
É claro que precisamos repreender , é assim que a família vai ajudando a criança a compreender as regras e comportamentos, mas podemos escolher o que precisa de correção, o que precisa de repreensão, o que a gente conversa depois em casa e o que "tudo bem, deixa pra lá!".
Lembrando, então desta super responsabilidade de sermos pais e mães e sabendo que todos estamos fazendo o melhor que sabemos ou que podemos, vamos continuar nesta "missão possível".
abraços e até a próxima!

sexta-feira, 10 de março de 2017

Férias ou aulas?



As aulas recomeçaram e a criançada já está com todo o gás, não é mesmo?
Pois o recado aqui hoje será para que fiquemos de olho o ano inteiro. Nós já sabemos disso, é bem óbvio.
Mas vale a pena lembrar, que no início tem pouco conteúdo, a criança está descansada e ainda está empolgada com as novidades da nova turma.
Uma rotina de estudo, com acompanhamento e principalmente "paciência" dos pais ajudará muito a criança no seu percurso escolar.
Falei de paciência porque as crianças são bem menos tolerantes quando a gente tenta ajudar, elas reclamam que não ensinamos igual ao professor, distraem-se facilmente e parecem não entender.
O conselho é: Muita calma nesta hora! Não desista , mantenha seu volume de voz normal e tranquilo.
Mostre interesse pelo conteúdo. Conte se você lembra quando aprendeu este conteúdo. Mostre as aplicações deste conteúdo na vida prática. Você vai ajudar muito o seu filho.
abraço e até a próxima!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Só olhando...


Olá leitores,
Começando as postagens do ano com um convite:
Que neste anos possamos  observar o mundo, ouvir mais, pensar antes de falar, analisar, diminuir o ritmo (evitando respostas imediatas e impulsivas)!
Vamos fazer esta experiência?
abraços

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Até a próxima!

Queridos leitores,
Agradeço a companhia de vocês por mais um ano!
Agora: recesso nos meses iniciais! Mas em 2017  mais dicas, esclarecimentos e conteúdo sobre comunicação aqui no Lugar da Fala.
abraços e um ótimo 2017  a todos!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Mães que querem acertar


 Mães querem acertar sempre, mas às vezes é só não fazer NADA e estamos acertando.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Cada um com a sua fala

E aos que me perguntam como falar tão bem como aquele apresentador de TV, eu respondo:

-Que tal procurar em você o melhor da sua comunicação?

Se lembrarmos que somos seres únicos e que a comunicação dever ser coerente com a nossa personalidade e com as ocasiões da nossa vida, cai por terra o mito da padronização, de que há um único jeito certo e aceito de se comunicar.
Tempo de respeitar as diferenças e curtir a nossa melhor versão.
Até a próxima!

terça-feira, 6 de setembro de 2016

O mundo não quer me ouvir?




Nos dias de hoje, discute-se muito a importância da comunicação na vida das pessoas. Nas matérias em revistas e periódicos, lemos que “é preciso se comunicar bem para ser aceito na sociedade, manter os relacionamentos e a profissão.”
Comunicar é preciso, mas às vezes, o que acontece na rotina diária, é que deixamos nossa comunicação no piloto automático, esperando que nossas ‘intenções’ sejam ‘descobertas’ pelo interlocutor. Então, freqüentemente, no consultório, tenho ouvido reclamações como:
- Os outros não me entendem!
- Não foi isso que eu quis dizer!
- Todos discordam do que eu falo!
Algo parece estar errado: não com as pessoas, mas com a forma que estão lidando com sua expressão e compreensão.
Não podemos esquecer que a maneira como nos expressamos carrega consigo uma bagagem cultural, familiar e emocional, além de mudar conforme nossa relação com o interlocutor. Nem sempre a mensagem emitida chega ‘exatamente a mesma’ na compreensão do outro.
As interferências mais comuns, que ‘contaminam’ estas mensagens são: linguagem corporal, espaço físico comunicativo, entonação de voz e articulação das palavras. Tais sinais podem transformar o que foi dito em outra mensagem bem diferente.
Profissionais que lidam com treinamento, capacitação, educação e saúde, sem dúvida, poderão se destacar, se desenvolverem habilidades comunicativas específicas, como a escuta, a expressão verbal e corporal adequadas.
A verdadeira escuta promove abertura do ouvinte como receptor, isento de pré-julgamentos e permite que o falante comece e termine sua fala.
Expressão verbal e corporal coerentes entre si facilitam a transmissão das mensagens. Para isso, todos os elementos comunicativos devem “falar” em uníssono: olhos, expressão da face, postura, gestualidade, articulação dos sons e voz.
Tais estratégias permitem aproximar-se de seus colegas de trabalho e clientes de forma cuidadosa, sem invadir o espaço do outro, sem julgar e sem inferir situações pela contaminação de seu olhar pessoal.
Assim, o outro (que conversa conosco) também estará mais aberto para falar, ouvir e, possivelmente, compreender nossas sugestões e recomendações.

Post re-editado (publicado em 2008 no Blog PalavraChave, da mesma autora)

Quem esteve aqui este mês