BEM VINDO!!!

Olá,

Aqui no Lugar da Fala você encontra dicas, textos e outras informações para se comunicar bem.

Comunique-se e seja bem vindo!!!


Já viu os e-books que escrevi para você? Clique abaixo!

Já viu os e-books que escrevi para você? Clique abaixo!
E-books exclusivos
Está gostando deste blog?
Deixe seu comentário e vote na classificação dos textos!
É só um clique: contribua, assim, para a escolha dos próximos assuntos a serem publicados.
O Lugar da Fala é feito para compartilhar temas de comunicação.
Obrigada, mais uma vez, por sua visita!

Queridos leitores, pretendo lançar outros e-books. Me digam sobre o que gostariam de saber mais:

terça-feira, 20 de março de 2012

Retirada de hábitos orais: chupeta



Queridos leitores
Recomendamos que os hábitos orais devem ser evitados ou eliminados o mais precocemente possível.

Coloquei uma chupeta bem grande aqui , porque este objeto faz parte da nossa cultura de forma tão natural que nem nos damos conta de que a criança está crescendo, e ela continua lá, na sua boquinha...
 
As crianças naturalmente sugam por ser instintivo e acolhedor ao longo da primeira infância. A chupeta tem a "fama" de acalmar as crianças neste período. Entretanto, a criança já cumpre com  a função da sucção ao ser amamentada e também é um momento que, em contato com a  mãe, recebe acolhimento e fortalece-se o vínculo mãe-bebê.


Então, como fazer?
  • Se a criança estiver mamando no peito, nem ofereça a chupeta. Ela não fará falta.
  • A mãe voltou a trabalhar, o bebê fica muito tempo sem vê-la, tudo bem: chupeta ortodôntica, apenas quando for dormir ou está reclamando muito.
  • Dormiu? Retira-se a chupeta (ninguém precisa de algo em sua boca enquanto dorme, certo?)
  • Evite carregar a chupeta pendurada na roupa, pois assim ela fica à disposição da criança o tempo todo.
  • Evite deixar  chupetas à disposição pela casa. Guarde-as para os momentos em que forem "necessárias".
  • Procure ir avisando gradativamente para  a criança que ela está crescendo e logo não precisará mais da chupeta e cada vez mais vá deixando-a de lado. Retiradas abruptas podem causar outros transtornos.

  • Assim que você perceber que está na hora (procure um tempo tranquilo: férias, feriado, criança saudável, você está por perto) avise que como vocês já estão conversando, ela não precisa mais de chupeta. Você  e  a criança combinam o momento para, juntos,  jogá-la no lixo.
  • Daí a chupeta não volta mais, nem quando a criança chorar, nem na próxima vez que  a criança  adoecer, nem quando o irmaõzinho nascer. Você já está ciente que atrapalha, então não será coerente oferecê-la novamente.
Contudo, algumas crianças maiores reclamarão. Mostre a elas os problemas que podem acontecer devido a extensão do hábito, como a alteração na arcada dentária e que a chupeta na boca o tempo todo a impede de falar livremente. Diga a ela que você compreende que ela sente falta agora, mas que logo ela nem lembrará mais disso.

As condutas mais adequadas da família para a retirada do hábito são constância e coerência, ou seja, se você já avisou que vai retirar a chupeta, será incoerente comprar outra sempre que a criança perde ou esquece em algum lugar. Fique tranquilo, explique.

Ofereça amor, carinho e conscientização ao seu filho!

Nenhum comentário:

Quem esteve aqui este mês